Mensagem aos trabalhadores

 In CLISAM, FHGV, Hospital Getúlio Vargas, Notícias, UPA Sapucaia

A propagação do coronavírus por todos os continentes caracteriza uma pandemia na saúde pública mundial. O comprometimento e o envolvimento dos trabalhadores da saúde têm sido fundamentais para prevenir e conter o Covid-19. O mundo inteiro está mobilizado. No Brasil, estados e municípios decretam calamidade pública, reforçando a gravidade da situação.

A atuação dos profissionais envolvidos nesse processo de enfrentamento ao coronavírus é extremamente relevante. É a hora do SUS comprovar sua importância. É a hora dos trabalhadores da saúde estarem na linha de frente desse desafio.

A direção da Fundação Hospitalar Getúlio Vargas reconhece o esforço, a dedicação e o comprometimento de seus profissionais diante do cenário. Todos vem assumindo responsabilidade neste momento em que a população está exposta à pandemia.

A FHGV vem procurando cercar os trabalhadores, usuários e toda a comunidade de cuidados essenciais para a valorização da vida. Diversas medidas estão sendo tomadas nesse sentido. A primeira delas foi a criação do Comitê de Enfrentamento do Novo Coronavírus, que tem a missão de adotar e acompanhar as providências necessárias contra o Covid-19. Resoluções já foram criadas e publicadas no site, nas redes sociais e nos murais da Fundação. Outras estão em estudo no sentido de oferecer maior proteção.

Trabalhadores de todos os setores já recebem cursos de capacitação para saber lidar com o coronavírus. Ao mesmo tempo, a diretoria executiva da Fundação reúne-se com representantes dos trabalhadores para discutir outras medidas que possam resguardar não apenas a segurança dos pacientes e da comunidade, mas dos próprios profissionais da saúde que aqui trabalham.

No encontro desta sexta-feira com os sindicatos, por exemplo, foi informada a utilização de containers de pré triagem nos pátios do HMGV e da UPA Sapucaia do Sul, e um centro de triagem no Hospital Tramandaí. Além disso, está encaminhada nova aquisição de máscaras e demais insumos, o afastamento de trabalhadores acima de 60 anos, a jornada diurna de 12 x 36 horas para alguns setores e a adequação do refeitório para evitar aglomerações.

É um momento difícil, que exige unidade, bom senso e, sobretudo, reconhecimento ao trabalho e às iniciativas de proteção coletivas, que devem nortear a saúde pública em qualquer lugar. A FHGV agradece o empenho de todos os seus trabalhadores e, ao mesmo tempo, ratifica a necessidade de nos mantermos todos alinhados em defesa da saúde de todos os cidadãos.

Recent Posts