Atividades no Hospital Tramandaí e na UPA de Sapucaia finalizam programação do Setembro Amarelo na FHGV

 In Fundação, Hospital Getúlio Vargas, Hospital Tramandaí, UPA Sapucaia

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e a Educação Continuada do Hospital Tramandaí (HT) administrado pela Fundação Hospitalar Getúlio Vargas (FHGV) organizaram dois dias de palestras com profissionais que abordaram a prevenção do suicídio. Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sapucaia do Sul também gerida pela Fundação teve palestra para orientar de maneira preventiva os trabalhadores acerca do tema. Neste mês, foram desenvolvidas tarefas focadas em âmbito nacional porque a taxa de suicídios no Brasil aumentou 7% a cada cem mil habitantes conforme a Organização Mundial da Saúde. Esse índice está na contramão do percentual mundial que caiu em 9,8%.

Durante a palestra Prevencão ao suicídio: dialogando sobre saúde mental, a psicóloga concursada da FHGV Simone Gadegast reforçou a importância da precaução entre os funcionários do HT. “Temos que falar de suicídio, e assim, reduzir o número de pessoas vulneráveis. É importante trazer o assunto à tona e fazer com que todos saibam que não estão sozinhos e que existem meios de tratar essas situações. Quem tem o pensamento suicida deve ter sua dor e sofrimento acolhidos, pois 90% dos suicídios podem ser evitados”, observa a psicóloga.

Para a enfermeira do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Tramandaí Amanda Maciel, além da necessidade de tratar o assunto saúde mental e prevenção ao suicídio, é importante desmistificá-lo. “Quando o paciente tem problema renal vai ao nefrologista, ou se tem fratura vai ao traumato/ortopedista. Por que não se dá essa mesma atenção quando se tem problemas relacionados às nossas emoções e à saúde mental? A gente precisa procurar um local com atendimento especializado com psicólogo, psiquiatra e ficar de olho nas questões de saúde mental como um todo. Hoje, sabemos o quanto as doenças fisiológicas estão ligadas à saúde mental”, observa.

Amanda lembra que no Brasil, 32 pessoas se suicidam por dia, e no mundo, uma a cada 40 segundos. A enfermeira destaca também que os índices têm aumentado na infância e na adolescência e no início da vida adulta. Outro dado é de que o suicídio é segunda causa morte nas idades de 19 a 25 anos segundo a Organização Mundial da Saúde.

CAPS Tramandaí

Em Tramandaí, as pessoas podem buscar o atendimento no CAPS que funciona na Rua Vergueiro 234, das 8h às 18h, e presta atendimento à microrregião do Município, Imbé, Balneário Pinhal e Cidreira. “As pessoas podem buscar atendimento no CAPS de Tramandaí, pois temos o acolhimento porta aberta com escuta à pessoa que pode trazer as suas principais queixas para que sejam feitos os encaminhamentos necessários para psicólogo e psiquiatra. O CAPS tem oficinas de várias modalidades, grupos terapêuticos e atendimento individual. São várias modalidades de tratamento e práticas complementares em saúde pensando na possibilidade de diminuir ou até retirar o uso de fármacos com o uso de terapias. O mais importante é a procura pela ajuda e as pessoas entenderem que não estão sozinhas porque quando elas pensam em suicídio, pensam em autodestruição para aliviar a angústia e a dor num ímpeto de desespero”, finaliza Amanda.



UPA Sapucaia do Sul e HMGV

Na UPA em Sapucaia do Sul, os trabalhadores tiveram duas opções de turnos para participarem da palestra Suicídio, conhecer para prevenir ministrada pela psicóloga Josane Bairros de Souza no formato roda de conversa. “A ideia foi debater com todos os colaboradores, alertando sobre os índices que aumentam constantemente, sendo a terceira causa de morte em jovens entre 15 a 29 anos. É preciso agir com prevenção e falar é a melhor solução”, afirma a supervisora administrativa da UPA Josiane Cardoso Silveira Migotto.

Ainda neste mês o Hospital Municipal Getúlio Vargas realizou uma ação inusitada.  Sem avisar nada a ninguém e com cartazes com as frases: “você é especial na vida de alguém”; “sempre haverá um amanhã”; “posso te abraçar agora”; “cuide de você hoje”; e “não desista do amor, não desista de amar” integrantes da Comissão de Direitos Humanos (CDH) distribuíram abraços e palavras de carinho no Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

Setembro Amarelo

O Setembro Amarelo foi criado pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Brasileira de Psquiatria para alertar a todos a respeito da realidade do suicídio no Brasil e das formas de prevenção. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas, por isso, a prevenção é o principal meio para salvar vidas.

Para auxiliar nessa prevenção, a FHGV orienta a população por meio de perguntas e respostas ligadas ao tema disponíveis aqui. De maneira voluntária, o CVV através do número188 presta apoio emocional e sigiloso 24 horas às pessoas que desejarem conversar.

Recent Posts