Saúde do Trabalhador inicia renovação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

 In Fundação, Notícias

A Saúde do Trabalhador da Fundação Hospitalar Getúlio Vargas (FHGV) iniciou a renovação do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) das unidades integrantes do polo de Sapucaia do Sul. O PPRA é um documento obrigatório que consiste no reconhecimento e na avaliação dos riscos ambientais e da exposição dos trabalhadores a eles reavaliado a cada ano. Desde de 2016, uma equipe composta por engenheira e técnicos de segurança do trabalho elaboram os PPRAs para o Hospital Municipal Getúlio Vargas (HMGV), sede administrativa, Unidade de Pronto Atendimento, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, Clínica de Saúde da Mulher e Serviço Especializado de Reabilitação.

De acordo com a engenheira de segurança do trabalho da FHGV Maiara Cecchin, os tipos de riscos identificados são físicos, químicos e biológicos. Os riscos físicos podem ser o ruído, as vibrações, as temperaturas extremas e as radiações ionizantes, entre outros. Alguns dos riscos químicos envolvem as poeiras, os fumos, as névoas e os gases. E entre os riscos biológicos existem as bactérias, os vírus, os fungos e os parasitas.

Segundo Maiara, os riscos nos ambientes de trabalho em função de naturezas, concentrações ou intensidades e tempo de exposições podem causar danos à saúde do trabalhador. Além disso, há o risco de acidente pelo trabalho em altura, pelos cortes, pelas perfurações e pelas queimaduras que também consideram-se nos PPRAs. “O uso de equipamentos de proteção individual é essencial e não deve acontecer o reencape de agulhas. O procedimento certo é descartá-las no descarpack, inclusive, é proibido fazer o reencape. As equipes da medicina fazem treinamentos e orientam sobre esse assunto”, lembra Maiara.

Após ser finalizado, o documento ficará disponível no setor de Saúde do Trabalhador e os funcionários podem ter acesso ao mesmo a qualquer momento. A renovação do documento iniciou-se pelo HMGV e a previsão é de que até final de agosto sejam concluídos todos os PPRAs das demais unidades do polo de Sapucaia do Sul. “Atualmente, a equipe dispõe de equipamentos próprios para realizar as avaliações quantitativas para o risco de ruído e de calor, bem como para avaliar os níveis de iluminamento dos ambientes. Para os demais riscos, as avaliações são de forma qualitativa com entrevista com os trabalhadores e vistoria nos postos de trabalho. O PPRA integra o conjunto mais amplo das iniciativas da FHGV no campo da preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores e articula-se com o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional”, esclarece a engenheira de segurança do trabalho.

Recent Posts