Teste com luminol mostra se técnica de lavar as mãos está correta

 In Fundação, Hospital Getúlio Vargas, Notícias

O Hospital Municipal Getúlio Vargas (HMGV) reforçou nesta sexta-feira (10) a campanha de “Higienização das Mãos – Simples Atitude que Salva Vidas”, voltada para o antes e depois da assistência aos pacientes. Neste mês, ocorreu um dia mundial para alertar sobre a necessidade da limpeza correta das mãos. Os trabalhadores do hospital puderam fazer teste com luminol e tirar dúvidas com a equipe do controle de infecção.

A técnica de enfermagem Adriana Picoli da Rosa fez o teste pela primeira vez e passou, pois tem higienizado de maneira adequada as mãos. “Sigo os cinco passos de higienização das mãos em momentos que antecedem e posteriores ao atendimento dos meus pacientes do Alojamento Conjunto. Tenho cuidado redobrado porque trabalho com bebês”, afirma a trabalhadora.

O chefe de manutenção Charles Silva é assíduo nas ações da campanha. “Todos os anos faço o teste e uso a forma certa para lavar as mãos que aprendi nos cursos”, relata.

Orientações
O médico infectologista Marcelo Bitelo observa que as mãos carregam germes como bactérias, fungos e até vírus que podem provocar doenças nas pessoas com genes resistentes aos antimicrobianos usados para o tratamento das infecções. Para estar com as mãos limpas, é preciso higienizá-las com água, sabonete ou sabão, tanto as palmas quanto os dorsos. Se a mão não estiver suja, também dá para higienizá-las com preparações alcoólicas. “A higiene das mãos é mais eficaz e barato na prevenção de infecções relacionadas à assistência em saúde”, completa o infectologista.

Bitelo lembra que os adornos como anéis, relógios, correntes e brincos que ultrapassam o lóbulo das orelhas são proibidos por meio da Norma Regulamentadora 32 do Ministério da Saúde. No caso de esmalte nas unhas, deve estar íntegro e sem o uso de gliter.

Higienização das mãos

  1. Antes do contato com o paciente.
  2. Anterior à realização do procedimento asséptico.
  3. Após o risco de exposição a fluídos corporais.
  4. Depois do contato com o paciente.
  5. Logo após contato com as áreas próximas ao paciente.

Recommended Posts