Comunidade reconhece trabalho da UPA em Lajeado

Categorias: Fundação, Notícias, UPA Lajeado

Na terça-feira, 15 de maio, os diretores da Fundação Hospitalar Getúlio Vargas, Gilberto Barichello (Geral) e Juliane Dias (Atenção à Saúde) estiveram em Lajeado para uma série de agendas relacionadas com a Unidade de Pronto Atendimento do Município. Na ocasião, anunciaram a intenção de criar o Conselho de Gestão da UPA, reunindo representantes dos usuários, dos trabalhadores e dos gestores.

Esse Conselho, de acordo com Barichello, dará transparência a todos os detalhes que envolvem a administração da Unidade, permitindo um alinhamento maior entre todas as partes envolvidas. Atualmente, mesmo com todas as dificuldades vivenciadas pela Saúde no Estado, na região e no Município, existe um reconhecimento pela qualidade do trabalho prestado.

Espaço na Câmara de Vereadores

Acompanhados da coordenadora da UPA, Úrsula Jacobs, os representantes da FHGV tiveram espaço na sessão da Câmara de Vereadores, onde puderam apresentar dados, comparar números e esclarecer diversas questões sobre o funcionamento da Unidade e sua relação com a rede de saúde local.

Havia interesse da comunidade sobre os atendimentos após o incêndio na recepção da Emergência do Hospital Bruno Born, no início de abril, que provocou maior procura pelos serviços da UPA. Tempo de espera era a maior preocupação.

Segundo o diretor geral Gilberto Barichello, a UPA integra um sistema de saúde pública que precisa estar alinhado: “Se uma das partes não cumpre o seu papel, ocorre uma sobrecarga nas demais, prejudicando o funcionamento do sistema”.

No caso da UPA, que ocupa um papel intermediário entre a atenção básica e o Hospital, o incêndio no HBB fez aumentar o atendimento a casos com maior gravidade, o que ampliou o tempo de espera dos casos menos graves (verdes e azuis na escala do acolhimento).

Apesar dessa dificuldade, a coordenadora da Unidade, Úrsula Jacobs, informa que o índice de satisfação dos pacientes atendidos ainda é bastante alto. Em março, 99,40% dos entrevistados responderam que voltariam à UPA para serem atendidos. Em abril, esse percentual foi de 97,33%. Essa pequena redução, estima-se, está diretamente relacionada à ampliação do tempo de espera em função do aumento de atendimentos dos casos graves.

Visitas à Secretaria de Saúde e à Promotoria Municipal

Após a fala dos representantes da Fundação na Câmara, os vereadores tiveram espaço para dirimir dúvidas. No final, um consenso de que o trabalho realizado na UPA é de excelência, apesar das dificuldades inerentes ao atual contexto.

Antes da visita à Câmara dos Vereadores, os diretores da Fundação estiveram reunidos com o promotor de justiça Neidemar Fachinetto, que reiterou a percepção de bom atendimento na UPA, e, em seguida, com o secretário Municipal de Saúde, Tovar Musskopf. Entre os temas tratados, a intenção da FHGV em criar o Conselho de Gestão para a UPA.
Também houve espaço para atendimento à imprensa. No mês de junho, Barichello pretende voltar ao município, dessa vez para conversar com o Conselho Municipal de Saúde.
Na foto de capa, manifestação na Câmara de Vereadores. Na segunda, encontro com o promotor Fachinetto. Na terceira, entrevista no jornal local.

Recent Posts